4 exemplos de negócios em economia criativa para te inspirar

A economia criativa representa uma tendência alinhada às mudanças do mercado, e a crescente dos novos meios de fazer negócio. As empresas começaram então a buscar respostas nesses espaços, e encontraram no entretenimento e publicidade, conseguindo se adaptar a essa nova realidade. Mas afinal, o que é economia criativa? A Economia criativa oferece um trabalho… Continuar lendo 4 exemplos de negócios em economia criativa para te inspirar

5 exemplos de negócios em Economia criativa para te inspirar

A economia criativa representa uma tendência alinhada às mudanças do mercado, e a crescente dos novos meios de fazer negócio. As empresas começaram então a buscar respostas nesses espaços, e encontraram no entretenimento e publicidade, conseguindo se adaptar a essa nova realidade.

Mas afinal, o que é economia criativa?

A Economia criativa oferece um trabalho coletivo, que envolve pessoas dentro e fora da empresa, tendo a preocupação com a sustentabilidade e transparência. Esses são critérios que os consumidores tem dado mais importância nos últimos anos, então faz sentido que esse movimento olhe mais por esse lado.

Para adentrar nesse modelo de negócios, as empresas precisam fazer algo novo de forma pontual, com negócios inovadores, que promovam a liberdade para a circulação de ideias – como se reposicionar uma marca ou produto de acordo com os comportamentos dos consumidores.

Setores da Economia Criativa

Além do entretenimento, os setores mais comuns incluem: artesanato, artes visuais, arquitetura, eventos, jogos, literatura, gastronomia, moda, música, rádio e turismo. Algumas empresas de software também se encaixam nessa definição, mesmo que sua linha não seja muito precisa.

Separamos neste post 4 exemplos de negócios em Economia criativa para te inspirar. Confira abaixo:

Catarse

A Catarse é uma plataforma digital de financiamento coletivo, que tem o objetivo de auxiliar o impulsionamento de projetos que não iriam acontecer por falta de dinheiro. A plataforma é a famosa “vaquinha”, em que todos podem contribuir voluntariamente para um plano cadastrado na ferramenta. A plataforma foi o primeiro sistema de crowdfunding do Brasil e, hoje, é a maior do mercado.

Giral

A Giral nasceu em 2004, e ajuda desde o planejamento estratégico das ações – pequenos negócios comunitários ou atividades que envolvam reciclagem – até a implementação e relacionamento com as comunidades impactadas. O negócio articula organizações do primeiro, segundo e terceiro setor.

Olabi

O Olabi é uma spin off do Templo, o maior espaço de coworking do Rio de Janeiro, e é um laboratório de inovação e tecnologia com três pilares inspiradores: experimentação criativa, inovação de garagem, redes e projetos de impacto. A visão do Olabi, que nasceu em 2014, é ser um laboratório de eletrônica, robótica e marcenaria, com impressora 3D, cortador à laser e tudo que faz a alegria de um maker

Broota

Broota, primeiro serviço de “equity crowdfunding” ou “investimento colaborativo” (tradução livre) do País. O site foi lançado em 11 de junho usando, justamente, um financiamento coletivo. É através do Broota que os investidores podem comprar participação em empresas nascentes, mas desembolsando um valor bem menor do que o normal.

Gostou? Que tal pensar em projetos inspiradores como estes acima para a sua empresa?